Motorista foi internado com pancreatite, mas não houve transferência.

Saúde diz que tentou vaga e que ele recebeu cuidado ‘semelhante’ na UPA.

Do G1 DF

Um motorista de 35 anos morreu no Distrito Federal na manhã deste sábado (28), após três dias na fila de espera por um leito de UTI. Carlos Guedes Santana foi internado em estado grave na terça-feira na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Samambaia, diagnosticado com pancreatite. A Secretaria de Saúde diz que foi notificada do caso e sabia da gravidade do caso, mas não conseguiu vaga nas UTIs públicas e conveniadas.

Ainda segundo a pasta, o paciente ocupou um leito especial na UPA de Samambaia e recebeu os “mesmos aparelhos e profissionais” de uma UTI convencional. Na sexta (28), a Justiça do DF concedeu liminar para internação imediata, mas a ordem não foi cumprida a tempo.  Leia mais…

Obras começaram na data em que centro seria inaugurado, a princípio.

Ibram diz que construção continua, mas não informou motivo do atraso.

Do G1 DF

Galpão que vai ocupar primeiro módulo do Hospital Veterinário Público em julho de 2014 e em março de 2015  (Foto: Isabella Formiga/G1)Galpão que vai ocupar primeiro módulo do Hospital Veterinário Público em julho de 2014 e em março de 2015 (Foto: Isabella Formiga/G1)

O primeiro hospital veterinário público do Distrito Federal, no parque Lago do Cortado, em Taguatinga, teve as obras iniciadas com cinco meses de atraso, na data em que estava previsto para ser inaugurado: julho de 2014. À época, a Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) anunciou que o primeiro módulo do espaço, onde serão oferecidos os serviços de castração e emergência, passariam a funcionar em dezembro do ano passado.

A reportagem do G1 esteve no parque nesta quarta-feira (26) e verificou que, embora a obra esteja em andamento, pouco mudou no espaço nos últimos oito meses. Funcionários dizem trabalhar na “reforma da área interna” do espaço, mas o antigo galpão do primeiro módulo mantém a fachada do Grupo de Escoteiros de Taguatinga, abandonado há décadas. Outros cinco módulos ainda passarão por obras.

Obras realizadas no galpão onde vai funcionar o primeiro hospital veterinário público do DF (Foto: Isabella Formiga/G1)Obras realizadas no galpão onde vai funcionar o primeiro hospital veterinário público do DF (Foto: Isabella Formiga/G1)

O Instituto Brasília Ambiental (Ibram) afirmou que a construção do primeiro prédio do complexo continua, mas não informou o motivo do atraso. A autarquia disse que a nova gestão do Ibram vai se reunir em breve com os empreendedores responsáveis para definir o cronograma das obras.

No ano passado, a Semarh informou que o projeto tem custo estimado em R$ 2,5 milhões e vai ser pago pela empresa Direcional Engenharia como “compensação ambiental”. A modalidade é uma contrapartida que as companhias pagam ao GDF por danos causados ao meio ambiente. Segundo a pasta, é a primeira vez que a compensação ambiental é usada para construir uma obra pública no DF, e por isso os trâmites administrativos e burocráticos estrapolaram o período de início da obra.

Hospital veterinário

Segundo a pasta, o centro veterinário será gratuito para cães e gatos que pertençam prioritariamente a pessoas cadastradas em programas do governo do Distrito Federal, organizações não governamentais de proteção animal e abrigos. Qualquer pessoa, no entanto, poderá levar o bicho para ser atendido no local. A estimativa é de que entre 80 e 100 consultas e procedimentos sejam realizados por dia.

O hospital terá seis módulos e vai oferecer consultas gerais, medicações, internações, exames de radiologia digital, ultrassonografias, cirurgias gerais, ortopédicas e oncológicas. O centro também terá uma unidade exclusiva para castração dos animais, medida com o objetivo de controle reprodutivo.

FONTE: G1 DF

Pelo menos 70 empresas são investigadas por participação no esquema.

Prejuízo estimado é de R$ 19 bilhões; não há informação sobre prisões.

Raquel Morais, Lucas Nanini e Vianey Bentes

Do G1 DF e da TV Globo, em Brasília

A Polícia Federal informou que apreendeu nesta quinta-feira (26), no primeiro dia de operação de combate a fraude contra a Receita Federal, R$ 2 milhões em dinheiro em três endereços de Brasília e São Paulo. Segundo a PF, pelo menos 70 empresas – dos ramos bancário, siderúrgico, automobilístico e da construção civil – são investigadas no esquema que pode ter dado prejuízo de R$ 19 bilhões à Receita a partir da anulação ou redução indevida de multas aplicadas pelo órgão. Os nomes das empresas suspeitas de envolvimento na fraude não foram divulgados.

Operação Zelotes
Estimativa de prejuízo R$ 19 bilhões
Fraude já comprovada R$ 5,7 bilhões
Estados envolvidos DF, CE e SP
Mandados de busca e apreensão 41
Policiais federais atuando na operação 180
Fiscais da Receita auxiliando ação 55
Fonte: Polícia Federal

Do total recolhido, R$ 800 mil estavam em um cofre e R$ 312 mil em uma sacola. A origem do restante dos valores e os locais não foram divulgados. Carros de luxo também foram apreendidos. Leia mais…

Aylton Gomes (PR) é o campeão dos gastos com consultorias

Breno Fortes/CB/D.A Press - 15/10/13/Valério Ayres/Esp. CB/D.A Press - 19/5/10Primeiro lugar em gastos ficou com Aylton Gomes (PR) (e); segundo com Wellington Luiz (PMDB); e terceiro com Paulo Roriz (PP) (d)

 

Não é só com gasolina que os deputados distritais torram dinheiro. As prestações de conta do ano passado mostram que só em consultorias (jurídica e especializada) e divulgação de atividade parlamentar — em ano eleitoral — foram consumidos mais de R$ 2 milhões da verba indenizatória. Aluguel de veículo também está entre os gastos preferidos dos políticos. Foram R$ 608.533 pagos em locadoras. Se levar em consideração esses quatro quesitos, cinco deputados torraram R$ 960.973 em 2014. Leia mais…

Tribunal de Contas identifica erros e indícios de superfaturamento em projetos da Novacap e do DER

Millena LopesUma auditoria do Tribunal de Contas do DF (TCDF) identificou falhas em projetos técnicos, medições inadequados e indícios de superfaturamento em obras rodoviárias realizadas entre janeiro de 2011 e abril de 2014, na gestão do ex-governador Agnelo Queiroz. O valor fiscalizado foi de R$ 2,5 bilhões.

Os projetos  foram elaborados pelo Departamento de Estradas de Rodagem do DF (DER-DF) e a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) e, de acordo com o corpo técnico do TCDF,  não têm elementos essenciais de engenharia para fazer a caracterização e o orçamento de obras rodoviárias. Leia mais…

Arthur Trindade, titular da Segurança Pública e da Paz Social, informou ao diretor-geral da autarquia, Jayme Amorim, o posicionamento da pasta

Agentes do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) não poderão mais utilizar armas de fogo durante o trabalho. Pelo menos no que depender da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social. O secretário da pasta, Arthur Trindade, recomendou ao diretor-geral do Detran, Jayme Amorim, a interrupção do armamento por parte dos auditores em serviço até que haja um parecer jurídico sobre a situação. Leia mais…