Concorrentes ao Executivo fazem primeiro confronto direto na Associação Comercial do DF. Participam do encontro Agnelo, Arruda, Toninho, Rollemberg e Pitiman

O terceiro tema do debate entre os cinco principais candidatos ao GDF foi esporte. Agnelo, Arruda, Toninho, Rollemberg e Pitiman concordam com a necessidade de investimentos no setor. As vilas olímpicas foram destacadas como áreas a receberem atenção. Os adversários de Agnelo criticaram os investimentos no Estádio Nacional Mané Garrincha. O governador se defendeu, afirmando que deixa um legado para a cidade. Arruda disse que daria para fazer 10 hospitais regionais com o dinheiro do sobrepreço. Leia mais…

Empregado da Fundação Banco Central de Previdência Privada teria sido perseguido no trabalho. A vítima perdeu o cargo de chefia e foi transferida

Kelly Almeida

A Justiça do Trabalho determinou que um empregado da Fundação Banco Central de Previdência Privada (Centrus) receba R$ 200 mil por perseguição no ambiente de trabalho. Segundo o processo, a vítima teria, entre outros prejuízos, perdido um cargo de chefia porque os superiores acreditavam que ela estaria denunciando irregularidades da diretoria. O relator tentou reduzir o valor para R$ 45 mil, mas foi vencido pela maioria, que optou pelo valor mais alto. Ainda cabe recursos. Leia mais…

Do Alto da Torre

Parceria para administrar o Mané

Ficou uma sensação após a exposição feita ontem ao governador Agnelo Queiroz e a integrantes do primeiro escalão do governo pelo secretário especial da Copa, Cláudio Monteiro (foto), sobre os resultados obtidos pelo Mané Garrincha até agora. É a de que está cada vez mais próxima a criação de uma parceria público privada para a gestão do estádio. Como já ocorreu no Itaquerão e no Beira Rio, o Mané seria explorado e administrado por uma empresa privada. Os resultados da Copa exibidos por Cláudio Monteiro apontariam para essa solução como a mais indicada.  Leia mais…

Médica do DF morre infectada pelo vírus H1N1

Maryna Lacerda

Uma médica da Secretaria de Saúde do Distrito Federal morreu em decorrência do vírus H1N1, na última quinta-feira (24). A servidora, cuja identidade e tempo de serviço não foram informados pela pasta, trabalhava como cirurgiã pediátrica e atuava no Núcleo de Prevenção ao Tabagismo. Ela teria contraído a doença porque se recusou a receber a dose deimunização, obrigatória para profissionais da área de saúde. 

A dentistas procurou a rede particular para atendimento e, há seis dias, o sistema de monitoramento da secretaria recebeu a informação do óbito. Este é o quarto caso de morte pela Influenza A e 18º de contaminação pelo vírus. Em 2013, foram 31 casos e seis mortes.
FONTE: CORREIO BRAZILIENSE

Pesquisa da Fecomércio mostrou que 46,2% dos lojistas afirmaram que o Mundial foi negativo no ponto de vista das vendas

Flávia Maia

A queda nas vendas em vários segmentos do comércio do Distrito Federal nos mês de junho levou a maioria dos empresários a ter uma visão negativa da Copa do Mundo. Segundo pesquisa da Federação do Comércio do Distrito Federal (Fecomércio) divulgada nesta tarde (29/7), 46,2% dos comerciantes não aprovaram o Mundial. O grupo a favor reuniu 36,6% dos entrevistados. Os lojistas dos segmentos de departamentos, perfumaria e vestuário foram os que pior avaliaram o evento. No vestuário, a diminuição das vendas foi de 25%, nas lojas de departamentos, 23% e nos restaurantes, 27,18%. Leia mais…

 por AF — publicado em 29/07/2014 18:05

O juiz da 7ª Vara Criminal de Brasília determinou o arquivamento do pedido de Exceção de Suspeição oposto pelos réus do processo oriundo da Operação Caixa de Pandora contra os promotores do NCOC, atual GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado). Os réus que propuseram a exceção foram: José Roberto Arruda, Paulo Octávio Pereira da Silva, Marcelo Toledo Watson, Luiz Paulo Costa Sampaio, Luiz Cláudio Freire de Souza França, Aylton Gomes Martins, Berinaldo Pontes, Pedro Marco Dias (Pedro do Ovo) e Rogério Ulysses Teles de Melo. Leia mais…

por VS — publicado em 29/07/2014 17:55

O Conselho Especial do TJDFT julgou, nesta terça-feira, 29/7, procedente a Ação Direta de Inconstitucionalidade – ADI proposta pelo MPDFT contra as Leis 1.072, de 15 de maio de 1996, 1.592, de 25 de julho de 1997, e 1.637, de 9 de setembro de 1997; das Leis Complementares 62, de 6 de janeiro de 1998, 91, de 13 de março de 1998, 96, de 27 de março de 1998, 140, de 25 de agosto de 1998, 146, de 14 de setembro de 1998, 147, de 23 de dezembro de 1998, 182, de 31 de dezembro de 1998, 626, de 18 de julho de 2002; e do Decreto n° 21.677, de 1º de novembro de 2000, do Governador do Distrito Federal, que dispõem sobre desafetação de áreas públicas e alteração da destinação de lotes. A decisão tem efeitos erga omnes, para todos, e ex tunc, retroativo, e foi por maioria. Leia mais…

por AF — publicado em 29/07/2014 15:50

O juiz da 4ª Vara da Fazenda Pública do DF condenou o Distrito Federal a pagar R$ 2 mil de indenização por danos morais à ambulante que levou soco de um fiscal durante abordagem na Rodoviária do Plano Piloto. De acordo com a sentença, “o caso configura responsabilidade extracontratual do Estado, decorrente de lesão corporal causada por agentes públicos no exercício da função”. Leia mais…

 por AF — publicado em 28/07/2014 19:45

A juíza da 8ª Vara da Fazenda Pública condenou o Distrito Federal a pagar R$ 30 mil de danos morais e R$ 10 mil de danos estéticos a uma motorista que ficou com sequelas permanentes no pulso direito após atendimento médico na rede pública de saúde. De acordo com a sentença, houve erro médico no tratamento prescrito. Leia mais…

José Roberto Arruda pode ter candidatura impugnada.

O candidato ao governo do DF Toninho do PSOL confirmou nesta terça-feira (29) ao Diário do Poder que seu partido apresentou há pouco as alegações finais no processo de impugnação da candidatura de José Roberto Arruda, condenado por corrupção pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF). Segundo o candidato, foi reiterado à Justiça Eleitoral que Arruda não pode ser candidato porque é Ficha Suja. “Os advogados de Arruda dizem que, pelo fato de ele ter encaminhado a candidatura antes da condenação em segunda instância, o livraria [da impugnação]. Mas, nós entendemos que o candidato só pode ser considerado apto depois que os juízes julgarem o registro”, explicou Toninho. Leia mais…