O Brasileiro e a leitura

Sabemos que ler não é algo que muitos brasileiros fazem, apesar de vivermos num país bem grande com 200 milhões de pessoas, pouquíssimas são adeptas da leitura frequente, o brasileiro lê em média uns 4 livros por ano, sendo que pelo menos 2 por ser algo obrigatório, como recomendação de escola, universidade,etc.

Então na verdade a média de livros lidos por vontade própria é de apenas 2 por ano o que é bem baixo se comparado a média de outros países e para piorar, esta média pode ser ainda menor se levarmos em consideração que muitos não chegam a ler os livros por inteiro.

Mesmo quando lê, aparentemente o brasileiro lê mal e ainda falta melhorar em muito a cultura, isto fica obvio quando percebemos quais são os livros que estão na lista dos mais vendidos,  livros de humor ou sem conteúdo útil algum como alguns livros de YouTubers.

Pior ainda quando vemos o Álbum da Copa do Mundo 2018 sendo considerado como um livro e aparecendo junto nestas listagens dos mais vendidos.

Não queremos dizer com isto que as pessoas devem apenas ler livros intelectuais ou que ensinem coisas úteis, há sim ótimos livros de ficção, principalmente os de fantasia para o público jovem, como a ótima trilogia Rainha Vermelha da Victoria Aveyard, os livros fizeram tanto sucesso no mundo inteiro que estão até cogitando um filme em breve, e aqui no Brasil foi sucesso de vendas também.

Mas no geral percebemos que ainda falta melhorar e muito a cultura do nosso país, os jovens cada dia que passa escrevem pior, as músicas são só lixo em sua maioria e agora com a onda dos You Tubers “inúteis” fazendo idiotices para cativar o público infanto juvenil o cenário a nossa frente parece ser de um futuro pior ainda.

O You Tube tem sido em boa parte responsável pela disseminação desta cultura inútil:

A esperança é que em breve esta cultura do inútil comece aos poucos ser descartada, para que isto aconteça é preciso que os pais acordem e comecem a ensinar os filhos desde pequenos sobre coisas que realmente valem a pena apreciar e que ensinem que não compensa emburrecer seguindo estes YouTubers que não tem nada de bom a acrescentar.

Além disso, que o nosso governo de mais prioridade a educação e cultura de verdade e não a pseudo cultura.. Felizmente parece que já iniciou-se um pequeno movimento, alguns anunciantes já se negam a patrocinar canais de cultura inútil, se este movimento aumentar, pode ser que com o tempo as pessoas percebam que para ganhar algum dinheiro com vídeos vai ser preciso ter conteúdo inteligente e não lixo…